Transporte ferroviário entre a Europa e a Ásia em considerável crescimento

23 março 2017

Atualmente a China está construindo novas linhas, novos terminais, investindo alto para desenvolver e promover esse meio de transporte que irá remodelar os fluxos euro-asiáticos. Esse movimento, faz com que o transporte ferroviário de mercadorias entre os dois continentes não seja apenas uma tendência, mas sim uma verdadeira atividade em expansão para durar.

A Europa e a Ásia são frequentemente vistas como um grande pedaço de terra chamado Eurásia. Da Europa Ocidental à China Oriental, uma grande variedade de climas e paisagens se mantiveram ao longo dos séculos como barreiras contra invasores, ao mesmo tempo em que abriam espaço para rotas comerciais prósperas, tão antigas quanto o próprio comércio. À medida que o progresso industrial e a crescente globalização acompanharam o desenvolvimento dos tipos de transporte de pessoas e deram origem ao de contêiner, o transporte ferroviário transcontinental foi sendo postergado. Mas, com o impulso do governo chinês, está prestes a encontrar uma segunda juventude e remodelar a visão dos fluxos de transporte em toda a Eurásia.

Transporte ferroviário é um dos mais confiáveis modais

Com a construção de novas linhas e terminais e interligando os já existentes, a China está desenvolvendo uma alternativa confiável e direta para diminuir o frete marítimo e os caros fretes aéreos entre a Europa e a Ásia, oferecendo tudo o que você pode esperar de um frete hoje: eficiência multimodal, rastreamento, manuseio de embarques especiais, segurança etc. No que diz respeito às rotas e ao preço, a ferrovia é bastante previsível: as faixas são fixas e o frete recebe menos influência do clima e do preço do combustível. Mas, as opções não são necessariamente limitadas: a partir de agora, mais de 15 trens por semana saem de pelo menos 5 cidades chinesas através do Cazaquistão, oeste ou pela Rússia, nordeste. Nas fronteiras, os terminais de transbordo são atualizados para aumentar o fluxo e reduzir o tempo de operação. E na Europa, os parceiros envolvidos também investem e desenvolvem capacidade e interligações para competir com o transporte de caminhões, aproximando-se de áreas remotas. O transit time de terminal para terminal está atualmente limitados pelas restrições de velocidade da UE, mas continuam a ser bastante competitivos: 14 dias entre o Leste da China e Alemanha podem ser reduzidos para 9 ou 10 dias com um impulso das políticas da UE.

Com mais de 200 TEUs por mês, a GEFCO tem vários clientes

Como é um conceito crescente, o governo chinês realiza muitos testes para novas rotas, e divulga, mas as operações demoram um pouco para serem confiáveis. Como agente de frete ferroviário experiente com equipes ao longo da rota entre a China, Polônia, Alemanha e França, a GEFCO procura semre a eficiência das rotas oferecidas. Com mais de 200 TEUS por mês, a GEFCO tem vários clientes pioneiros na utilização de um modo de transporte com baixas emissões de CO² e que abrangem os benefícios ocultos do uso do transporte ferroviário, como os custos de capital de giro.

Compartilhar